MDVis Alive

Bom, pessoal, por mais que tenha se passado muito tempo, o MDVis ainda não morreu \o/
Volto aqui para comentar algumas novidades do projeto, vamos a elas ;)

Primeiro, tutorial do DSD:
Faz tempo que estou trabalhando nisso mas não tenho tido muito sucesso. Várias novidades tem aparecido tanto na faculdade quanto no próprio projeto que tem faltado tempo de trabalhar neste tutorial. Uma primeira parte dele já foi feita e estou pensando no que é melhor, publicá-lo parcialmente agora ou deixar para uma postagem completa do tutorial para mais tarde. Por enquanto, estou com a segunda opção, mas isso pode mudar, portanto fiquem ligados por aqui ;)

Segundo, DSD IR:
Não é oficial e ainda não sabemos se é o melhor caminho, porém está sendo estudada uma nova maneira de se trabalhar com o DSD sem usar as marcas do ARToolkit, que é usando Infravermelho (Infrared - IR). Há pouco tempo foi instalado um sistema de detecção de marcas IR na nossa sala, o Bratrack. Ele é composto por duas câmeras IR que lançam raios infravermelhos para determinados pontos do local e também reconhecem pontos que refletem estes raios (as bolinhas da imagem abaixo), assim como um computador para gerenciar isso tudo, podendo mandar os dados via UDP para os dispositivos, por exemplo. Abaixo, umas imagens do sistema:

camera1.jpg
camera2.jpg
Câmeras localizadas na nossa sala de desenvolvimento


bratrack_gui1.jpg
bratrack_gui2 (Medium).PNG
GUI do Bratrack


bratrack_3p2udp1.jpg
bratrack_3p2udp2 (Medium).PNG
Software do Bratrack que permite visualizar o sistema de coordenadas do artefato


bone1.jpg
bone2.jpg
bone3.jpg
bone5.jpg
Boné com artefato. Este objeto foi utilizado em um projeto de realidade virtual aqui do grupo de CG da UFRGS (notem como as marcas brilham com o flash)

Também gravei um vídeo para mostar a velocidade de reconhecimento de artefatos do sistema, espero que dê para enxergar mesmo com a baixa qualidade:



Obtendo 3 marcas (esferas cobertas por um material altamente reflexivo) ou mais e elas formando triângulos escalenos, conseguimos atribuir a estas marcas a condição de Artefato. Um artefato é reconhecido pelo sistema, que consegue definir condições como rotação, direção e posição, além de uma eventual calibração para resultados mais precisos.

E o que o MDVis tem a ver com isso? Bom, o reconhecimento destas marcas IR é muito mais preciso e estável do que o reconhecimento de marcas binárias do ARToolkit (Nos vídeos que foram mostrados por aqui podemos notar um certo "Flickering" das imagens, decorrente do mal reconhecimento das marcas), dando um resultado muito mais profissional para um sistema como o DSD. A idéia então é usar este sistema para fazermos um "DSD2 - IR version" e comparar com a versão que usa a visão computacional das Tablets para ver onde cada uma se destaca. Abaixo, algumas imagens de possíveis condições das tablets:

tablet_adesivo_lado.jpg
tablet_adesivo_cima.jpg
Tablet com marcas planas sobre a tela. Embora mais elegante, o reconhecimento das marcas não é tão afinado quanto o reconhecimento de esferas IR.

tablet_bola_lado.jpg
tablet_bola_cima.jpg
Tablet com esferas (toscamente) colocadas sobre a tela. Menos profissional, porém com um reconhecimento bem melhor.

Atualmente o Gelson está pensando em um meio termo entre as tuas técnicas, que esperamos unir o melhor das duas ^^

Bom, por enquanto de novidades temos isso. Também estou pensando em uma maneira que acho bem interessante de interagir com o DSD, mas tenho que conversar melhor com a minha orientadora sobre isso antes de divulgar maiores informações ;) Mas acho que bem em breve voltarei aqui para falar sobre isso =D

Era isso, pessoal, até mais o/

Last edited Oct 1, 2008 at 3:04 PM by mrzacarias, version 4

Comments

No comments yet.